Governança corporativa

O Fundo Patrimonial Amigos da Poli foi concebido de maneira a possuir uma estrutura e um modelo de atuação diferenciados, que pudessem trazer à Escola Politécnica uma inteligência na captação e alocação de recursos que não é contemplada nos moldes de gestão habituais. Parte-se da ideia básica de que as pessoas que almejam apoiar o fundo através de doações também possuem grande competência e capacidade para auxiliar na sua gestão, contribuindo com o processo decisório de alocação dos recursos destinados a projetos em prol da Escola. Essencialmente, a própria governança do fundo foi estruturada para aproximar o doador à realidade politécnica. Esta aproximação é que torna o Amigos da Poli capaz de agregar valor de uma maneira muito original e eficiente.

 

A base dos órgãos de governança é a Assembleia Geral. Suas decisões são soberanas e são sempre tomadas democraticamente, de acordo com a vontade de seus associados. Já o associado é a figura que, de fato, realizou doação significativa ao Amigos da Poli. Cabe à Assembleia decisões fundamentais como alterações estatutárias e escolha dos membros do Conselho Deliberativo.

 

O Conselho Deliberativo é responsável por decidir as estratégias e prioridades de atuação da associação. Tem responsabilidades diretas sobre a escolha dos projetos que serão apoiados, e sobre o orçamento do fundo. Ademais, ele também tem a importante função de definir os membros da Diretoria.

 

A Diretoria é o órgão cujas funções são as mais abrangentes de toda a estrutura de governança. Suas ações dão caráter ao fundo, contribuindo para captação de recursos, apoio ao conselho no tocante às decisões estratégicas e realização de tarefas do dia-a-dia que conduzam à perpetuação da associação. Vale lembrar que a Diretoria também é responsável pela nobre tarefa de elaborar e submeter ao Conselho os balanços e demonstrações financeiras da associação.

O Amigos da Poli conta ainda com um Comitê de Investimentos, formado por (três) membros idôneos e com notória competência em administração patrimonial e de recursos. Este comitê, com reuniões periódicas, é responsável por propor ao Conselho Deliberativo uma Política de Investimentos – um documento formal e público, que estabelece as diretrizes das aplicações dos recursos do fundo patrimonial. Cabe a este comitê tomar as decisões de investimento à luz da Política aprovada pelo Conselho.






Amigos da Poli | Todos os direitos reservados. Produzido pela Ultrahaus.com